quarta-feira, 13 de dezembro de 2017


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA


HOJE:
Água, Biodiversidade, Clima, Código Florestal, Desmatamento, Direto do ISA, Mineração, Povos Indígenas, Quilombolas, Violência
Ano 17
13/12/2017


Direto do ISA



No ar, a nova edição do boletim do ISA

A edição 65, que você acessa também em celulares e tablets, traz as principais atividades do ISA no segundo semestre de 2017. Vale conferir! - Direto do ISA, 12/12.

 


Violência



Altamira, um retrato do Brasil que mata

Altamira, no Pará, foi alçada ao posto de cidade mais violenta do Brasil em 2015, segundo levantamento do projeto “ A Guerra do Brasil”. Naquele ano foram registrados 124,6 homicídios por 100 mil habitantes, bem à frente de cidades que costumam estampar o noticiário de chacinas, balas perdidas e tiroteios, como Rio (23,4) e São Paulo (13,5). Há dez anos, o município sequer aparecia na lista dos mais violentos, com taxa de 53,2 homicídios. Diretamente impactada pela construção da hidrelétrica de Belo Monte, experimentou uma desorganização da vida social da cidade - O Globo, 13/12, País, p.8.

 


Biodiversidade



Estudo sugere considerar guepardo como 'em perigo'

Um estudo sobre as populações de guepardo na África Austral sugere que a espécie encontra-se em perigo. Os pesquisadores, que tiveram o apoio da "National Geographic Society", apresentaram evidências de que a baixa estimativa populacional do felino aliada a um declínio da quantidade de espécimes justifica a entrada do guepardo na lista de animais ameaçados da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) - FSP, 13/12, Ciência, p.B9.

 


Clima



Cúpula em Paris levanta verbas contra mudanças climáticas

O presidente francês Emmanuel Macron promoveu nesta terça (12/12), em Paris, a Conferência Um Planeta para celebrar os dois anos do Acordo de Paris e recolocou a questão do financiamento para uma economia de baixo carbono.Entre os anúncios estão: corte de financiamento a combustíveis fósseis e liberação de recursos para projetos de adaptação climática. Macron também encomendou estudo a um grupo de renomados economistas, que deve apresentar em 2018 uma proposta de "precificação positiva" de carbono, que incentiva atividades que reduzem as emissões de carbono ou o capturam. - O Globo, 13/12, Sociedade, p.25.; FSP, 13/12, Ciência, p.B9.

Uma vítima do aquecimento global

Imagens de um urso polar desnutrido causaram comoção na internet O fotógrafo Paul Nicklen filmou o predador, que mal conseguia se manter em pé. Desnutrido, ele tinha os ossos aparentes pela falta de alimentos. Para Nicklen, as imagens chocantes retratam o futuro da espécie caso as mudanças climáticas se aprofundem. A redução de geleiras e icebergs por conta de temperaturas mais altas e verões mais longos os obrigam a ficar mais tempo em terra firme onde não têm acesso à principal fonte de alimento e gordura: as focas e outros mamíferos da família. - O Globo, 13/12, Sociedade, p.25.

 


Geral



Samarco obtém licença para obras em nova cava

A mineradora Samarco obteve ontem duas das licenças ambientais para poder voltar a operar. O Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), ligado à Secretaria de Meio Ambiente de Minas, concedeu à empresa a licença prévia e a licença de instalação referente à cava Alegria Sul. A Samarco está parada desde o desastre de Mariana, em novembro de 2015 e com as licenças poderá iniciar as obras de adaptação e ampliação da cava - Valor Econômico, 12/12, Empresas, p.B1.

Vergonha básica

No ritmo atual, o Brasil só conseguirá oferecer água potável e tratamento de esgoto a todos os brasileiros na metade do século XXI - vinte anos depois da meta assumida com a ONU. O Instituto Trata Brasil, que analisou dados das 100 maiores cidades brasileiras, mostra que, nos últimos dez anos, elas avançaram menos de 1 ponto porcentual ao ano nesses indicadores. Se projetados esses avanços para os próximos anos, o Brasil levaria mais de quarenta anos para universalizar o saneamento, ou seja, só depois de 2050 - com sorte, vinte anos a mais do que o prazo assumido com a ONU, artigo de Otto von Sothen - Veja, 13/12, Página Aberta, p. 88-87.

 

OUTRAS NOTÍCIAS

MPF lembra dificuldades dos povos Guarani-Kaiowá, após dez anos de descumprimento do TAC das Demarcações
Educador indígena de Rondônia vence prêmio nacional
Alcântara: o custo do Centro Espacial para as comunidades quilombolas
Garimpeiro acusado de extração ilegal de ouro em terra indígena deve receber licença de Amazonino
Arqueólogos encontram objetos que reforçam interação entre indígenas e portugueses no Sul de SC
Estado do Mato Gross lidera desmatamento na região
Julgamento do novo Código Florestal ficou para fevereiro
Enfrentamento das mudanças climáticas dependerá de ciência e políticas públicas