quarta-feira, 9 de agosto de 2017




Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Amazônia, Florestas, Mineração, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas, Quilombolas
Ano 17
09/08/2017

 

Amazônia

 
  O Fundo Amazônia, criado para financiar projetos de desenvolvimento sustentável que ajudem a reduzir o desmatamento, lança hoje a maior chamada pública de seus nove anos. Serão R$ 150 milhões para dez projetos que fortaleçam as cadeias de valor da floresta e beneficiem comunidades tradicionais, ribeirinhos, assentados da reforma agrária, agricultores familiares, povos indígenas e quilombolas. A ideia é apoiar projetos de manejo florestal madeireiro e não madeireiro, aquicultura e outros arranjos de pesca, sistemas de produção baseados em agroecologia florestal e turismo de base comunitária, por exemplo - Valor Econômico, 9/8, Brasil, p.A2.
  A Justiça do Pará determinou ontem a soltura dos 13 policiais envolvidos na chacina que matou dez trabalhadores rurais, em maio, num acampamento em Pau D'Arco (PA). Na decisão, o juiz Jun Kubota, optou por não renovar o pedido de prisão preventiva dos policiais -11 militares e dois civis-, alegando que a detenção já não era mais necessária para a conclusão das investigações. Os 13 policiais são acusados pelo Ministério Público do Estado de terem executado os trabalhadores sem-terra sem chance de defesa - FSP, 9/8, Poder, p.A7.
  A governadora de Roraima, Suely Campos (PP), solicitou ontem, em telefonema ao presidente república, Michel Temer, reforço das Forças Armadas e da Polícia Federal na fronteira com a Venezuela. Ela afirmou que já enviou dois ofícios ao Palácio do Planalto expondo a grave situação que passa a segurança pública nacional em razão da fronteira desprotegida no Norte do País. A governadora de Roraima solicitou a expedição de decreto para garantia da lei e da ordem, com o emprego das Forças Armadas no patrulhamento de toda a extensão da faixa de fronteira do município de Pacaraima com a Venezuela, onde existem diversas vias de acesso clandestinas utilizadas como rota de tráfico de drogas, de pessoas e de armas pesadas, conforme apontam as estatísticas da criminalidade e os relatórios da inteligência da Polícia Civil do Estado - OESP, 9/8, Internacional, p.A10.
  
 

Mudanças Climáticas

 
  O aquecimento da Terra trará mais problemas que a inundação de áreas costeiras, a savanização de florestas, a destruição de ecossistemas e o esforço hercúleo de adaptação da raça humana às novas temperaturas. A mudança climática em curso atingirá também populações inteiras de abelhas e, com elas, a possibilidade de polinização natural de diversas culturas agrícolas cuja existência depende inteiramente desses insetos. O artigo "Projected climate change threatens pollinators and crop production in Brazil", publicado hoje na revista PLOS ONE, conclui que quase 90% dos 4.975 municípios brasileiros analisados no estudo enfrentarão perda de espécies polinizadoras nos próximos 30 anos - Valor Econômico, 9/8, Agronegócios, p.B9.
  Derretimento de geleiras nas montanhas do Peru ameaça futuro abastecimento de água e coloca em risco milhares de pessoas. Secas na Índia estão levando fazendeiros endividados ao suicídio e aquecimento global deverá elevar número de mortes - O Globo, 9/8, Sociedade, p.28.
  Um novo relatório produzido pelo Escritório de Meteorologia do Reino Unido (Met Office) confirma 2016 entre os anos mais quentes já registrados. Segundo os pesquisadores da instituição, a temperatura média global no ano passado foi 0,77 grau Celsius mais alta que a média observada entre 1961 e 1990. E embora destaquem que os dados sobre 2016 não indiquem que ele tenha sido mais quente que 2015, dentro da margem de erro dos instrumentos, eles afirmam que ambos anos são claramente os mais quente nos registros históricos - O Globo, 9/8, Sociedade, p.28.
  
 

Geral

 
  Seis integrantes de uma área remanescente de quilombo foram assassinados a tiros em Lençóis, na Chapada Diamantina, na Bahia. Em menos de um mês, são oito quilombolas mortos em área de disputas de terras no Estado. O crime ocorreu na noite de domingo (6), no Território Quilombola de Iúna, cujo processo de regularização fundiária foi iniciado recentemente pelo Incra - FSP, 9/8, Poder, p.A7.
  "Foi crime. O que houve em Mariana que matou 19 pessoas, destruiu um povoado, atingiu o Rio Doce com violência foi crime. Seja o que for que um juiz considere sobre o momento exato de parar uma escuta judicial, o que aconteceu lá tem consequências ainda não revertidas. Não foi por acaso: as empresas foram negligentes, assumiram riscos de atingir o meio ambiente e os seres humanos. Não é possível limpar o local onde a maior parte da lama despencou. O rio vai demorar anos a se recuperar, se um dia o conseguir. As pessoas têm que viver todos os dias com os efeitos da tragédia. Os índios Krenak enfrentam a mudança de seus hábitos e rotinas, porque agora, em vez de pescar, recebem dinheiro. Desde a chegada dos não índios no Vale do Rio Doce, os Krenak resistiram preservando sua cultura. Hoje, isso se desfaz", artigo de Míriam Leitão - O Globo, 9/8, Economia, p.22.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: